5 comentários em “R. R. Tolkien e R. R. Martin: algo em comum além do “R. R.”?

  1. Não li nenhum dos livros deste senhor. Mas, depois de conversar com quem leu ou mesmo ler algo sobre seus escritos, creio que estão longe de superar a grande obra de Tolkien. Acho que não me deixariam com aquele “sentido de eternidade” que impregna as obras de Tolkien.

  2. Conheço as obras dos dois, e posso dizer que Martin estaria no meio termo entre Tolkien e Bernard Cornwell, pois trata bem da fantasia (Tolkien) e de intrigas (Cornwell, apesar de ser melhor que ele nesse sentido).

    A grande falha de Martin é não descrever bem as batalhas. Na verdade descreve poucas, e nisso não se compara com Cornwell.

    É um grande autor, mas ainda prefiro (e à grande distância) Tolkien, mas devo admitir que são estilos diferentes e qualquer comparação seria inapropriada. Temos que ver a época em que se escreveu cada um dos livros e o estilo de escrita, e isto cria uma imensa distância entre eles.

  3. Como todo bibliotecário compulsivo, eu tenho as obras de Tolkein e os dois primeiros volumes de Martin, mas ainda não os li. Tenho apenas contato com o que se passou no cinema e na tv.

    Já em Cornwell a qual fui apresentada por um usuário da biblioteca anterior que eu trabalhava, li “O condenado”, e agora estou no livro 2 das Crônicas Saxônicas e ele nos coloca dentro da época narrada por ele.

    Para mim é lazer também, mas como disse o outro comentário, são obras escritas em épocas distintas que muito irão influenciar nas leituras.

    Ainda lerei as obras citadas.

    Um abraço e descobri seu blog hoje!

  4. Li os dois primeiros volumes da saga de R. R. Martin, e fui convencido a ler o Hobbit de Tolkien por dizerem que A guerra dos Tronos é a mais importante obra de fantasia desde que Bilbo encontrou o anel. Na minha opinião são incomparáveis. Martin escreve para adultos enquanto Tolkien escreveu para os filhos. Tolkien como disse J. K. Rowling criou toda uma mitologia, seu mundo é repleto de magia isso devido ao seu público. Martin criou Westeros, um lugar onde não se pode confiar em ninguém, onde há violência,sangue e sexo. Martin criou um mundo onde os dragãos foram extintos, um mundo que vem perdendo a fantasia e a magia, em reflexo de seu público que já não é mais criança. O mundo de Martin é como a passagem do mundo de Tolkien para o mundo real. Porém ele traz de volta os dragões e por isso sou seu fã, ele traz de volta mesmo que timidamente a fantasia.

  5. Eu sou fã da obra de Tolkien, e por isso fui buscar algo que pudesse continuar a me dar aquilo que eu achei em Tolkien e que era o que eu procurava em termos de literatura fantástica. Cheguei a Martin exatamente por ser vendido como o Tolkien americano e realmente o homem escreve muito bem. Mas quando se procura uma literatura de fantasia você logo fica desapontado com Martin. Não me entendam mal. Ele escreve muito, muito bem. Mas não era o que eu esperava.
    Eu estou no terceiro livro e as primeiras 200 páginas preciso adimiitir que foram arrastadas. Eu só desejava não ter começado a saga. É uma falta de esperança completa. Você só espera que tudo dê errado e realmente tudo dá errado pra todo mundo.
    Estou terminando de ler pois como disse o cara escreve bem e estou no meio da saga. É difícil largar, mas se tivesse que começar novamente acho que não começaria não.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s